Floribike: Como funcionará em Florianópolis

Sistema de bicicletas coletivas de Florianópolis deve se tornar um dos melhores da América Latina

FLORIBIKE

O Floribike, que prevê a implantação de um total de 664 bicicletas compartilhadas em 111 estações, contemplando 68 pontos da capital catarinense, tem sido discutido desde 2011. O projeto, abarcado dentro da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável (SMCTDES), vem sendo resultado de debates e avaliações dentro do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) e da Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta (Pró-Bici), com apoio da Secretaria Municipal de Transportes, Mobilidade e Terminais (SMTMT).

Estão previstos dois módulos. No Centro, o projeto segue a microrrede cicloviária planejada desde 2008, com estações distantes no máximo 400m entre si, próximo ao padrão europeu. A empresa que for implantar as 66 estações, com 810 suportes para 405 bicicletas nos  41 pontos de aluguel do Centro, também pode colaborar para a implantação desta microrrede, cujo projeto sairá do IPUF.

Na Bacia do Itacorubi, estão previstas 45 estações, com 518 suportes e 259 bicicletas em 27 locais. Como a rede cicloviária integrada está defasada em relação ao Centro, foram contemplados os principais pontos de origem e destino.

FLORIBIKE 2

 

Três empresas estão na disputa: Movement Barcelona, Serttel e Compartibike, que já tem projetos em funcionamento em outras cidades do país, e até no exterior.

A vencedora do edital ficará responsável, também, pela futura ampliação do sistema, cujas discussões ficarão a cargo do corpo técnico do IPUF e da Pró-Bici. O aumento no número de bicicletas e na quantidade de estações por pontos também passarão por avaliação destes órgãos. O adensamento das estações na Bacia do Itacorubi pode ocorrer com a construção de determinadas estruturas cicloviárias na região, bem como a ampliação do sistema para bairros do continente e para o sul da Ilha, como a planície do Campeche, serão objetos de estudos específicos.

O usuário terá que se cadastrar no sistema antes de usá-lo. Ele poderá pegar a bicicleta numa estação e deixá-la em outra. Ao menos os primeiros 40min de uso serão gratuitos.

Os valores, bem como as formas de aquisição de créditos e características dos sistemas, são objetos da licitação. Ela prevê também uma futura integração com os demais sistemas de transporte coletivo.

Atualmente, a demanda reprimida de ciclistas em Florianópolis é de 74%, segundo a pesquisa “Transporte por bicicleta em cidades catarinenses: metodologia para levantamento da realidade e recomendações para incremento da sua participação na mobilidade urbana” (Pesquisa Bici SC). São pessoas que passariam a utilizar mais esse meio de transporte se houvesse melhores condições para o seu usufruto.

Fonte: http://bicicletanarua.wordpress.com/2013/03/21/xii-especial-floribike-como-funcionara-em-florianopolis/

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s