Ponte Hercílio Luz – Florianópolis – SC

Nesta semana a Ponte Hercílio Luz, localizada em nossa Ilha da Magia completou 87 anos, e assim o My Friend in Floripa homenageia o principal cartão postal da ilha lhes apresentando um pouquinho da história da Ponte.

Ponte Hercílio Luz

Ponte Hercílio Luz

História

A ponte foi projetada e construída durante o governo de Hercílio Luz para ser a primeira ligação terrestre entre a ilha e o continente. O idealizador não viu seu sonho ser concluído, pois morreu em 1924, doze dias depois de inaugurar uma réplica de madeira, construída na Praça XV especialmente para o ato simbólico. O nome da obra seria Ponte da Independência, o qual foi mudado após a morte de seu idealizador, em póstuma homenagem.

O projeto é de autoria dos engenheiros norte-americanos Robinson e Steinman, e todo o material nela empregado foi trazido dos Estados Unidos, tendo sido construída por equipe composta de dezenove técnicos especializados norte-americanos e operários catarinenses.

A inauguração da ponte Hercílio Luz, numa tarde chuvosa, em 13 de maio de 1926, acabou com um antigo sofrimento dos então 40 mil habitantes de Florianópolis: depender de balsas para atravessar da ilha ao continente ou vice-versa.

O governador Hercílio Luz resolveu construir a ponte para consolidar Florianópolis como capital de Santa Catarina. Àquela altura, as outras cidades do estado consideravam a ilha muito distante para ser o centro administrativo e político do estado e, em consequência, havia um movimento pregando a mudança da capital para Lages.

Depois de obter empréstimo equivalente a dois orçamentos anuais do Estado de Santa Catarina, o governo finalmente iniciou a construção da ponte em 1922. Todo o material foi trazido pelos norte-americanos, os engenheiros Robinson e Steinmann. O pagamento dos empréstimos, feitos junto a bancos norte-americanos, só foi concluído em 1978, mais de 50 anos após a inauguração da ponte.

Década de 60 - Ponte Hercílio Luz

Década de 60 – Ponte Hercílio Luz

Tombamento

Desde que foi fechada, em 1982, por medida de segurança, a Ponte Hercílio Luz serviu apenas de cartão postal, como ponto de referência e para embelezamento da cidade. Reaberta em 15 de março de 1988 somente ao tráfego de pedestres, bicicletas, motocicletas e veículos de tração animal, foi novamente fechada por completo em 4 de julhode 1991, depois que um relatório de análise de viabilidade da reabertura do tráfego da ponte foi apresentado em fevereiro de 1990.

O pesadelo do desabamento tornou-se constante na vida das pessoas. Esse temor, entretanto, foi eliminado justamente no dia em que a ponte completou 71 anos de idade. A obra clássica da engenharia internacional foi tombada como patrimônio histórico e artístico.

O mirante situado à cabeceira insular proporciona uma das mais belas vistas panorâmicas do centro da cidade. Na área também estão situados o Museu da Ponte e o Parque da Luz (Florianópolis). Os governadores decidiram deixá-la pois é o simbolo de Forianópolis

Restauração

Uma parceria entre o Governo Federal, Governo do Estado e a Prefeitura de112703 Florianópolis em 2005 proporcionou o início das obras de restauração da ponte Hercílio Luz. O prazo máximo para a entrega da restauração era 13 de maio de 2012, quando a ponte completasse 86 anos. Mas a burocracia, aliada à mudança no comando do governo do estado, fez com que as obras atrasassem. O novo prazo de entrega é para a metade de 2013.

87 ANOS

A comemoração dos 87 anos da ponte Hercílio Luz foi marcada por diálogos sobre alternativas de como usá-la para ajudar na mobilidade urbana de Florianópolis. O prefeito da Capital, Cesar Souza Junior, esteve reunido na manhã desta segunda-feira, 13, na Associação Catarinense dos Engenheiros (ACE), em Coqueiros, com uma comissão que debateu o sistema viário no entorno e os tipos de veículos que poderão atravessar a ligação. A Associação Catarinense de Imprensa (ACI), atuou em parceria da ACE na organização do evento.

Antes do início das discussões sobre os rumos da ponte, um bolo com o formato da ponte homenageada foi servido aos convidados. Logo depois, o Professor, Dr. Roberto de Oliveira apresentou a palestra “Hercílio Luz – Como pretende utilizá-la?”, expondo as possibilidades de uso da ponte.

Depois foi a vez do prefeito Cesar Souza Júnior, que falou sobre o planejamento urbano para o entorno da Hercílio Luz. O chefe do executivo municipal destacou a importância de um planejamento bem feito para que a cidade se readapte ao uso desta ligação que não é utilizada desde 1982.

‘’A Visão da Comunidade’’ foi a última etapa da programação, com participação de membros do Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Regional de Agronomia e Engenharia (CREA) e diversas outras entidades de Florianópolis em um debate sobre s expectativas a respeito da ponte.

 

Prefeitura de Florianópolis debate o futuro da Ponte Hercílio Luz

Um estudo previsto para ser concluído nos próximos 45 dias deverá apontar as alternativas de uso para a Ponte Hercílio Luz. A principal questão em análise é o uso como corredor de transporte de massas ou de veículos de pequeno porte.

As informações foram prestadas nesta segunda-feira (13) pelo prefeito da capital, César Souza Júnior, durante o ato de comemoração dos 87 anos daquela obra. “Embora não se duvide do aspecto histórico e cultural da Ponte Hercílio Luz tanto para Florianópolis, quanto para toda Santa Catarina e mesmo Brasil, não podemos abrir mão de seu papel dentro da mobilidade urbana”, destacou ele.

O evento, promovido pela Associação Catarinense de Engenheiros, contou ainda com a presença do secretário de Estado da Infraestrutura, Valdir Cobalchinni, do presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Joares Ponticeli, do presidente da Câmara de Vereadores da capital, César de Faria, do deputado federal, Esperidião Amin, e do superintendente do IPUF e Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano, Dalmo Vieira Filho.

A proposta da Prefeitura é de urbanizar toda a área próxima às cabeceiras da ponte, que nos domingos e feriados seria destinada exclusivamente às atividades de lazer. A ideia é implantar decks e outros equipamentos que permitam o uso do espaço como área de visitação e contemplação. “Mas tudo isto será analisado e ouvida a sociedade através de suas instâncias representativas”, garantiu o prefeito.

 

Fonte: DeOlhonaIlha; Wikipedia; Floripamanha

 

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

Anúncios

Turismo de aventura, ecoturismo e turismo sustentável, qual a diferença?

Turismo de aventura, ecoturismo e turismo sustentável, entenda a diferença 

Mirante do alto do Morro, em direção ao Pantano do Sul

Mirante do alto do Morro, em direção ao Pantano do Sul – Florianópolis

É a modalidade em que o turista protagoniza atividades de aventura (entendidas como “experiências físicas e sensoriais recreativas que envolvem desafios e que podem proporcionar sensações diversas como liberdade, prazer e superação”) como canoagem, ciclismo, arborismo e mergulho. As práticas podem ocorrer em diversos espaços (natural, construído, urbano, rural) e são de caráter recreativo e não competitivo – quando há competição, é considerado Turismo de Esportes.

Ecoturismo (ou turismo ecológico)

Segmento que considera viagens a áreas naturais como uma atividade responsável, que incentiva aconservação do patrimônio natural e cultural e promove o bem-estar das populações locais e a consciência ambiental nos turistas. Por isso, o ecoturismo pressupõe atividades que promovem a reflexão e a integração entre homem e ambiente, com envolvimento do turista nas questões relacionadas à conservação dos recursos do destino escolhido, que deve ser aproveitado de forma “ecologicamente suportável a longo prazo, economicamente viável, assim como ética e socialmente equitativo para as comunidades locais”, segundo a OMT (Organização Mundial do Turismo).

Turismo sustentável

É mais que um segmento do turismo – representa, na verdade, um conceito dentro do qual se encaixam todos os “tipos”, como ecoturismo e de aventura. Segundo a Organização Mundial de Turismo e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, os princípios do Turismo Sustentável “são aplicáveis e devem servir de premissa para todos os tipos de turismo em quaisquer destinos”. Um turismo que se desenvolve de forma sustentável envolve questões como a gestão dos recursos econômicos, sociais e estéticos, e mantém a diversidade biológica e particularidades culturais.

Fonte: Ministério do Turismo

Quer explorar mais as regiões de turismo de aventura na região de Florianópolis!?? Entre em contato com My Friend in Floripa!! =)

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

Fortalezas da Ilha

Ao redor da Ilha de Santa catarina, mais conhecida como Florianópolis, há  Fortes que faziam a proteção da Ilha entre os séculos XVII e XIX.

O My Friend in Floripa vem apresentar a vocês um pouco da história de um dos mais procurados passeios na ilha, durante todo o ano.

Ilha de Anhatomirim

Ilha de Anhatomirim

Construídas pelos portugueses quando o Sul do Brasil era disputado por Portugal e Espanha, os fortes da Ilha de Santa Catarina compuseram um sistema defensivo para impedir a invasão espanhola nas então desconhecidas terras do Sul.

As fortalezas são o legado desta época fascinante e turbulenta em que Silva Paes, engenheiro militar e primeiro governador da Capitania de Santa Catarina, toma posse (1739) e , cumprindo uma decisão real, inicia a construção da Fortaleza de Santa Cruz, em uma pequena ilha na entrada da baía norte, chamada Anhatomirim.

Após um ano, devido ao extraordinário valor estratégico que portugueses e espanhóis davam à Ilha de Santa Catarina, tem início a construção de mais duas fortificações, a Fortaleza de Santo Antônio, em outra pequena ilha na entrada da baía norte chamada Raton Grande, e a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, entre as praias de Daniela e Jurerê, na própria Ilha. Deste modo, constituiu-se um triângulo fortificado à barra norte da Ilha de Santa Catarina.

Fortaleza de Santo Antonio - Ratones

Fortaleza de Santo Antonio – Ratones

Fortaleza de Santo Antonio - Ratones

Fortaleza de Santo Antonio – Ratones

Em 1742 tem início a construção de uma quarta fortificação, a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição, localizada na Ilha de Araçatuba, com a função de guarnecer o estreito canal de entrada da baía sul. A fortaleza integra o Parque da Serra do Tabuleiro. Sua construção completaria o que Silva Paes julgava um sistema defensivo, adequado para a Vila do Desterro, principalmente com o triângulo defensivo formado pelas três fortalezas da baía norte.

Fortaleza de Nossa Sra da Conceição - Araçatuba

Fortaleza de Nossa Sra da Conceição – Araçatuba

     O sistema de fortificações na barra norte da Ilha fracassou totalmente na única defensiva em que participou. Em 1777, os espanhóis, comandados por D. Zeballos, invadiram a Ilha, renderam sem lutas as fortalezas, e conquistaram a Desterro. Mais tarde, pelo Tratado de Santo Ildefonso, a Ilha de Santa Catarina seria restituída à Coroa Lusitana, no entanto, caberia ao vencido, o comprometimento que “em nenhum tempo, de paz ou de guerra, em que Portugal não fosse parte, seria a Ilha aproveitada como base naval, nem mesmo transitória”.

     O Sistema Defensivo de Silva Paes foi incrementado, nas décadas seguintes, com a construção do Forte de São Francisco, na Praia de Fora, e a Fortaleza de Santana, na ponta da Ilha, mais próxima do continente, onde viria a ser construída a Ponte Hercílio Luz. Foi instalada também, quase ao lado do Forte de São José da Ponta Grossa, a Bateria de São Caetano e começado o Forte de São Luiz, no final da Praia de Fora.

     Em alguma data anterior a 1786, é levantada a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa, cujo local exato de construção é ignorado, mesmo porque, de tal edificação não restou qualquer ruína.

Visitando a Ilha da Magia, não deixe de realizar este incrível passeio que te leva através dos fortes, Baía dos Golfinhos, Baía Norte da Ilha, passando pela Ponte Hercílio Luz. Vale a pena conferir!!

Quaisquer necessidades na realização do passeio, o My Friend in Floripa providência para você. Entre em contato e saiba mais!

Fonte: Guia Floripa

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

Floripa Antiga – Imagens

 

NO dia do aniversário de 287 anos de nossa capital, o My Friend in Floripa trás a tona as memórias de Florianópolis, através de fotos e imagens, das mudanças ocorridas na cidade desde o início do século XX.

Inaugurada a 13 de maio de 1926, a ponte Hercílio Luz impulsionou o desenvolvimento da capital

Inaugurada a 13 de maio de 1926, a ponte Hercílio Luz impulsionou o desenvolvimento da capital

 

Mercado Público reconstruído após incentio - Já localizado à dir. da Conselheiro Mafra

Mercado Público reconstruído após incentio – Já localizado à dir. da Conselheiro Mafra

Em 1894 a mudança do nome da cidade para Florianópolis, em homenagem a Floriano Peixoto.

Em 1894 a mudança do nome da cidade para Florianópolis, em homenagem a Floriano Peixoto.

Praça Fernando Machado (centro) - ao fundo antigo Trapiche Miramar

Praça Fernando Machado (centro) – ao fundo antigo Trapiche Miramar

Dec 70 - Mercado Público Municipal

Dec 70 – Mercado Público Municipal

Dec 60 - R. Mauro Ramos

Dec 60 – R. Mauro Ramos

Dec 60 - Ponte Hercílio Luz

Dec 60 – Ponte Hercílio Luz

Dec 40 - Hospital de Caridade

Dec 40 – Hospital de Caridade

Dec 40 - Baía Sul

Dec 40 – Baía Sul

Dec 30 - Trapiche MIramar na Praça XV de Novembro

Dec 30 – Trapiche MIramar na Praça XV de Novembro

Dec 30 - Praia em frente ao Mercado Público na Conselheiro Mafra

Dec 30 – Praia em frente ao Mercado Público na Conselheiro Mafra

Dec 30 - Cais Rita Maria

Dec 30 – Cais Rita Maria

Dec 20 - antes da construção da Ponte Hercílio Luz - Ponta do Estreito - Baía entre continente e ilha

Dec 20 – antes da construção da Ponte Hercílio Luz – Ponta do Estreito – Baía entre continente e ilha

Dec. 20 - Ala Norte mercado público

Dec. 20 – Ala Norte mercado público

Comércio pesqueiro no mercado público, onde hoje é o vão central do mercado.

Comércio pesqueiro no mercado público, onde hoje é o vão central do mercado.

Antigo Mercado Publico antes localizado na Praça XV - imagem de 1897 - 1905 - Incendiado nesta época e reconstruído na Rua Conselheiro Mafra.

Antigo Mercado Publico antes localizado na Praça XV – imagem de 1897 – 1905 – Incendiado nesta época e reconstruído na Rua Conselheiro Mafra.

1929 - Colégio Catarinense - Centro

1929 – Colégio Catarinense – Centro

1894 - Aterro para a construção da ala norte do Mercado Publico

1894 – Aterro para a construção da ala norte do Mercado Publico

Vista da antiga Desterro, 1841.

Vista da antiga Desterro, 1841.

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

Florianópolis – SC

images (2)

Florianópolis, cidade brasileira capital do Estado de Santa Catarina, conhecida também como “Ilha da Magia”. Situa-se no litoral catarinense, e conta com uma parte insular (ilha de Santa Catarina) e outra parte continental incorporado à cidade em 1927, com a construção da ponte pênsil Hercílio Luz – 820 m de comprimento – que ligou a ilha ao continente, encontra-se aproximadamente entre 20 e 40 metros de altitude.

Varrida por ventos muito variáveis, possui um clima subtropical úmido, que se caracteriza pela alternância de verões e invernos, e farta distribuição anual de chuvas. Isto em conjunto com suas 42 praias, contribuiu para que ela se tornar-se a capital turística do mercosul, pois possui um intenso movimento turístico durante todo o verão, principalmente com argentinos, gaúchos e paulistas.

Da mata subtropical, que a revestia originalmente, resta muito pouco, devido à pequena lavoura de subsistência e culturas permanentes, promiscuamente associadas pela população rural, que tem na pesca parcela importante de sua atividade.

O plano da cidade originou-se a partir da Praça 15 de Novembro, que se estende até o pé da colina onde se eleva a catedral. A articulação dos bairros e subúrbios faz-se através de ruas ou avenidas, de longo e sinuoso traçado, entre o mar e as encostas dos morros. Apesar das sensíveis modificações, que construções modernas introduziram, a paisagem urbana guarda ainda muito do aspecto arquitetônico colonial.

Florianópolis é uma das três capitais insulares do Brasil. Vem se firmando cada vez mais como centro de turismo, graças às praias (Jurerê, Canasvieiras, Ingleses, Armação, e outras) que circundam a ilha e à beleza da Lagoa da Conceição, a 13 Km de distância do centro. Nos arredores da lagoa, são características as rendas de bilros, de tradição açoriana. Entre os monumentos históricos da cidade, destacam-se a casa de Vitor Meireles, os fortes e a catedral metropolitana.

Além da função político-administrativa estadual, Florianópolis é o maior centro cultural catarinense. Ali se instalou, em 1960, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Mais HISTÓRIA DE FLORIANÓPOLIS

Fundada por bandeirantes paulistas na segunda metade do séc. XVII, a antiga N. Sa do Desterro não teve vida urbana antes da colonização açoriana. Sede da capitania de Santa Catarina desde 1739, fora destinada pela coroa portuguesa a suprir de alimentos e manufaturas, trazidas do Rio de Janeiro, o Rio Grande do Sul. Sua população cresceu rapidamente depois da efêmera ocupação espanhola, passando, entre 1785 e 1824 de 1000 a 6000 hab. Declinou, em meados do séc. XIX, a sua produção agrícola e comércio, revivendo este na sua segunda metade, no continente catarinense, com a colonização européia. Sua denominação atual, em homenagem ao Marechal Floriano Peixoto, deve-se à iniciativa do governador Hercílio Luz em 1895.

História

Vista da Ilha do Desterro, 1841

Vista da Ilha do Desterro, 1841

Em 1894 a mudança do nome da cidade para Florianópolis, em homenagem a Floriano Peixoto.

Em 1894 a mudança do nome da cidade para Florianópolis, em homenagem a Floriano Peixoto.

Ponte Hercilio Luz - dec. 20

Inaugurada a 13 de maio de 1926, a ponte Hercílio Luz impulsionou o desenvolvimento da capital

Os primeiros habitantes da região de Florianópolis foram os índios tupis-guaranis. Praticavam a agricultura, mas tinham na pesca e coleta de moluscos as atividades básicas para sua subsistência.

Os indícios de sua presença encontram-se nos sambaquis e sítios arqueológicos cujos registros mais antigos datam de 4.800 A.C.

Já no início do século XVI, embarcações que demandavam à Bacia do Prata aportavam na Ilha de Santa Catarina para abastecerem-se de água e víveres. Entretanto, somente por volta de 1675 é que Francisco Dias Velho, junto com sua família e agregados, dá início a povoação da ilha com a fundação de Nossa Senhora do Desterro (atual Florianópolis) – segundo núcleo de povoamento mais antigo do Estado, ainda fazendo parte da vila de Laguna – desempenhando importante papel político na colonização da região.

A partir desta data intensifica-se o fluxo de paulistas e vicentistas que ocupam vários outros pontos do litoral. Em 1726, Nossa Senhora do Desterro é elevada a categoria de vila, a partir de seu desmembramento de Laguna.

A ilha de Santa Catarina, por sua invejável posição estratégica como vanguarda dos domínios portugueses no Brasil meridional, passa a ser ocupada militarmente a partir de 1737, quando começam a ser erigidas as fortalezas necessárias à defesa do seu território. Esse fato resultou num importante passo na ocupação da ilha.

Com a ocupação, tiveram prosperidade a agricultura e a indústria manufatureira de algodão e linho, permanecendo, ainda hoje, resquícios desse passado no que se refere à confecção artesanal da farinha de mandioca e das rendas de bilro.

Nesta época, meados do século XVIII, verifica-se a implantação das “armações” para pesca da baleia, em Armação da Piedade (Governador Celso Ramos) e Armação do Pântano do Sul (Florianópolis), cujo óleo era comercializado pela Coroa fora de Santa Catarina, não trazendo benefício econômico à região.

No século XIX, Desterro foi elevada à categoria de cidade; tornou-se Capital da Província de Santa Catarina em 1823 e inaugurou um período de prosperidade, com o investimento de recursos federais. Projetou-se a melhoria do porto e a construção de edifícios públicos, entre outras obras urbanas. A modernização política e a organização de atividades culturais também se destacaram, marcando inclusive os preparativos para a recepção ao Imperador D. Pedro II (1845).

Com o advento da República (1889), as resistências locais ao novo governo provocaram um distanciamento do governo central e a diminuição dos seus investimentos. A vitória das forças comandadas pelo Marechal Floriano Peixoto determinaram em 1894 a mudança do nome da cidade para Florianópolis, em homenagem a este oficial.

A cidade, ao entrar no século XX, passou por profundas transformações, sendo que a construção civil foi um dos seus principais suportes econômicos. A implantação das redes básicas de energia elétrica e do sistema de fornecimento de água e captação de esgotos somaram-se à construção da Ponte Governador Hercílio Luz, como marcos do processo de desenvolvimento urbano.

Hoje, a área do município, compreendendo a parte continental e a ilha, encampa 436,5 km2 , com uma população de 341.781 habitantes em 2000/IBGE. Fazem parte do Município de Florianópolis os seguintes distritos: Sede, Barra da Lagoa, Cachoeira do Bom Jesus, Campeche, Canasvieiras, Ingleses do Rio Vermelho, Lagoa da Conceição, Pântano do Sul, Ratones, Ribeirão da Ilha, Santo Antônio de Lisboa e São João do Rio Vermelho.

Florianópolis tem sua economia alicerçada nas atividades do comércio, prestação de serviços públicos, indústria de transformação e turismo. Recentemente a indústria do vestuário e a informática vem se tornando também setores de grande desenvolvimento.

Dentre os atrativos turísticos da capital salientam-se hoje, além das magníficas praias, as localidades onde se instalaram as primeiras comunidades de imigrantes açorianos, como o Ribeirão da Ilha, a Lagoa da Conceição, Santo Antônio de Lisboa e o próprio centro histórico da cidade de Florianópolis.

Fonte:

http://www.portalangels.com/educacao/datas-comemorativas/dia-do-aniversario-de-florianopolis-23-de-marco-2.html

Veja mais fotos da antiga Floripa em:

floripa-antiga-imagens

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

Acontece em Floripa – Floripa TAP 2013

Workshop de sapateado, Floripa TAP 2013, abre inscrições até o dia 5 de abril. O evento acontece de  5 a 7 de abril e dentre as atrações há convidados nacionais e internacionais já confirmados.

Na programação podem ser encontradas aulas (workshops), palestras e apresentações.

FLORIPA TAP 2013 - EMAIL MKT

Maiores informações em:

http://www.garagemdadanca.com.br/lista_de_eventos/4127/floripa_tap_2013

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2

 

 

Floripa 287 anos – Comemorações na ilha

Amanhã é o GRANDE dia!!! Dia do aniversário da nossa querida Ilha da Magia, Ilha de Santa Catarina, Ilha do Desterro, Florianópolis ou Floripa!! Chame como quiser, nossa querida terrinha completa 287 anos amanhã, 23 de março de 2013, e o My Friend in Floripa, como grande amigo da cidade e dos cidadãos, coloca para vocês a programação especial que a Prefeitura de Florianópolis preparou para festejar e comemorar mais este ano de vida!

Programação do aniversário da cidade na Ilha da Magia

Os festejos aos 287 anos de Florianópolis seguem até o final do mês de março

Ponte Hercílio Luz

Ponte Hercílio Luz

Florianópolis completa 287 anos no próximo sábado, dia 23 de março. Para comemorar o aniversário da cidade a Prefeitura Municipal preparou uma extensa programação com diversas atividades, todas gratuitas. Música, dança, concurso de fotografias, teatro, atividades esportivas, inaugurações, cinema, passeios ciclístico estão na programação especial que vai até o final do mês de março.

A 3ª edição da Maratona Cultural, evento que oficialmente passa a ser em comemoração ao aniversário da cidade integra o calendário de eventos. Entre os dias 22, 23 e 24 de março, serão mais de 36 horas de programação.

O tradicional Parabéns a cidade e corte do bolo vai ser realizado em cinco locais diferentes. Na Tapera às 10 horas, No centro Comunitário do Morro do Mocotó às 11:30, ao meio dia no Parque de Coqueiros, às 14 horas no Monte Cristo e para finalizar às 16 horas na Vila União.

Além da extensa programação gratuita em comemoração aos 287 anos de Florianópolis a cidade também recebe diversos  eventos privados.

Confira a programação completa em:

http://www.pmf.sc.gov.br/noticias/index.php?pagina=notpagina&noti=8406

Programação na REGIÃO CONTINENTAL

https://myfriendinfloripa.wordpress.com/2013/03/22/floripa-287-anos-continente-celebra-o-aniversario-da-cidade/

Diana Vieira – My Friend in Floripa

logo mff 2